Artigos

Infecções Urinárias

21 Dezembro 2020

1. Causa das infecções urinárias

As infecções urinárias são causadas por bactérias que normalmente existem na vagina e intestino, são mais frequentes nas mulheres que nos homens. Nas mulheres, o ânus encontra-se muito perto da abertura da uretra, que é o tubo que leva a urina para fora do corpo.

A proximidade destes dois orifícios facilita a passagem das bactérias da vagina e ânus para a uretra e daí para a bexiga. Também durante o acto sexual, pelo seu movimento, poderão ser transportadas para a bexiga.

2. São comuns?

Alguns estudos dizem que cerca de 43% das mulheres entre os 14 e os 61 anos, têm pelo menos uma infecção urinária. Estas infecções são mais frequentes em mulheres sexualmente activas, entre os 20 e os 50 anos ou naquelas com diabetes ou que tenham outras doenças que levem a uma diminuição da imunidade.

3. O aparelho urinário protege-nos das infecções?

O aparelho urinário liberta o corpo de algumas toxinas produzidas diariamente. A urina é filtrada pelos rins, depois passa para os ureteres e daí para a bexiga e para a uretra. A saúde do aparelho urinário é fundamental nas mulheres de todas as idades para evitar infecções e permitir as relações sexuais.

Os espermicidas e os diafragmas podem aumentar o risco de infecção urinária. Se pertence a este grupo, fale com o seu médico sobre a possibilidade de outra forma de planeamento familiar.

4. Quais os sintomas de uma infecção urinária?

Os sintomas mais comuns de infecção urinária incluem:

  • Vontade súbita de urinar;
  • Necessidade de urinar mais frequentemente do que o habitual;
  • Sensação de ardor, caimbras ou dor desconfortável quando se urina ou logo a seguir;

Sobretudo nas mulheres mais velhas, as infecções urinárias afectam mais frequentemente o aparelho urinário inferior sendo chamadas de infecções da bexiga ou cistites. A incontinência urinária também pode ser um sintoma.

5. Qual a gravidade de uma infecção urinária?

Na maioria dos casos as infecções urinárias tratam-se fácil e rapidamente. Uma infecção não tratada, no entanto, pode tornar-se numa situação séria ao envolver o rim. Como tal, as mulheres com infecções urinárias de repetição (isto é, mais do que três episódios por ano) devem tomar antibióticos por períodos mais prolongados ou podem necessitar de antibióticos endovenosos.

6. Deve procurar um médico?

Deve procurar-se um médico para fazer o correcto diagnóstico e tratamento da doença. Várias doenças, nomeadamente as doenças sexualmente transmissíveis, podem ter sintomas semelhantes às infecções urinárias mas tratamentos diferentes.

Um teste de urina (exame microbiológico de urina) poderá ser necessário para confirmar se há infecção, ou analisar qual é o microrganismo responsável, mas se esta for pouco frequente, ou rara, poderá não ser necessário.

7. Qual o antibiótico mais adequado?

Em geral, o melhor antibiótico para uma infecção urinária é aquele que cura e tem poucos efeitos secundários. A decisão de escolher um antibiótico em vez de outro depende de vários factores, nomeadamente da eficácia do antibiótico, efeitos colaterais, preço e resistência bacteriana.

O seu médico provavelmente vai-lhe perguntar várias coisas antes de o prescrever, nomeadamente:

  • Está a tomar a pílula?
  • Está a tentar engravidar?
  • Está grávida ou a amamentar?
  • É alérgico à penicilina ou a outros medicamentos?
  • Teve efeitos secundários com antibióticos no passado?
  • Tomou algum antibiótico que não fosse eficaz?
  • Está a tomar outra medicação?
  • Tem outras doenças médicas coexistentes (nomeadamente do rim, fígado ou pulmão)?

8. Vou ter efeitos secundários?

Tal como os outros medicamentos, os antibióticos produzem efeitos colaterais, embora sejam raros e pouco duradouros. Os mais comuns são náuseas, dor de cabeça, tonturas, sensibilidade à luz. Os antibióticos podem desequilibrar o nível de bactérias que normalmente temos no corpo, provocando diarreia ou infecções, por exemplo, a fungos. O mais importante é avisar o médico de quaisquer efeitos secundários que surjam e discutir com ele o problema.

9. Tenho de tomar toda a medicação?

Em infecções isoladas ou esporádicas o médico prescreve entre um a três dias de terapêutica e em infecções mais frequentes a terapêutica antibiótica oral pode ser prescrita por duas semanas ou mais, dependendo do tipo de fármaco escolhido. O tratamento é feito durante oito semanas a seis meses quando se opta por fazer profilaxia de novas infecções urinárias.

Deve beber muitos líquidos durante o tratamento. Tome atenção se o antibiótico deve ser tomado com alimentos ou em jejum e não pare o medicamento antes do fim do tratamento, mesmo que se sinta melhor ao fim de alguns dias, pois a infecção pode não estar totalmente debelada e pode correr o risco de apanhar nova infecção.

10. Como prevenir a infecção urinária?

Damos-lhe algumas sugestões para prevenir as infecções urinárias:

  • Beba pelo menos oito copos de água por dia para diluir a concentração de bactérias no aparelho urinário (isto é particularmente importante em mulheres que trabalham fora de casa e que tendem a restringir a ingestão de líquidos durante o dia);
  • Urine frequentemente (de 2 em 2 ou de 3 em 3 horas) ou sempre que sentir vontade;
  • Evite usar roupa justa e escolha roupa interior em algodão;
  • Mantenha uma boa higiene diária: limpe a área à volta da vagina e ânus após urinar e defecar, tendo o cuidado de limpar da frente para trás para evitar contaminação;
  • Se estiver na menopausa peça ao seu médico informações sobre tratamentos estrogénicos para a atrofia vaginal e uretral, numa tentativa de diminuir o risco de infecções urinárias. As mulheres sexualmente activas devem tomar algumas precauções: lavar as mãos e região púbica antes do acto sexual e urinar após este.

11. Como é colhida a amostra de urina para exame microbiológico?

A amostra da primeira urina da manhã é a preferida. No entanto, a urina pode ser colhida em qualquer altura.

Devido à possibilidade de contaminar a urina com bactérias e células da pele das áreas circundantes durante a colheita (particularmente nas mulheres), é importante primeiro limpar os genitais. Assim que começar a urinar, deixe alguma urina cair na sanita (esta primeira porção do fluxo lava por arrastamento a maioria dos contaminantes da uretra), recolha então a porção média da urina no contentor estéril fornecido (a porção média representa a flora da bexiga), e rejeite o resto para a sanita. Este tipo de colheita é conhecido por “urina do jacto médio”.

12. Do laboratório telefonaram-me para informar que necessitam de uma nova amostra de urina porque a primeira estava contaminada. O que aconteceu?

Se a pele e a área genital não forem bem limpas antes da colheita, na cultura da urina podem desenvolver-se três ou mais tipos diferentes de bactérias e isso é assumido como sendo uma contaminação. A cultura será rejeitada porque não se pode determinar se as bactérias são originárias do trato urinário ou do exterior.

Uma amostra contaminada pode ser evitada se seguir as instruções para se limpar cuidadosamente antes da colheita e colher a urina pela técnica do jacto médio.

13. O meu médico disse que eu tinha sintomas de uma infecção urinária e prescreveu-me antibióticos sem fazer uma urocultura. Porquê?

A razão para isso é porque a maioria das infecções urinárias são causadas por bactérias conhecidas como Escherichia coli (E. coli).

Este microrganismo é geralmente sensível a uma variedade de antibióticos, tais como o trimetoprim-sulfametoxazol, ciprofloxacina, e nitrofurantoína. Na maioria dos pacientes com infecções não complicadas do tracto urinário, esta será resolvida após terapêutica empírica com um destes antibióticos.